sábado, 16 de maio de 2009

DISTRIBUIÇAO DA PRODUÇÃO, E NÃO DA RENDA

Muitos pregam uma melhor distribuição de renda e esquecem que só distribuir a riqueza e não baratear a produção não resolve o problema. Não adianta nada as pessoas terem o dinheiro na mão, e não podem ter acesso aos produtos que continuam caros. Equacionar tal problema é difícil, pois teríamos que contar com vários envolvidos no processo. Trazer para o debate não só os empresários, mas também o governo e sociedade, e criando o que eu chamaria de um pacto para a produção, onde o governo diminuiria os impostos e os juros, e os empresários os lucros e os trabalhadores uma lei trabalhista mais moderna. E teríamos uma produção em massa focada nas classes menos favorecidas. Temos que parar de só querer acumular dinheiro (monetário), e insisto que o crescimento econômico deve se basear na produção e no trabalho e não na especulação financeira. Onde os mecanismos monetários apenas sirvam como parâmetros e instrumentos de controle de mercado.

Devemos incentivar as pessoas a irrigar a economia com um consumo mais responsável, e orientando as para não comprarem por impulso. É necessário que todos os formadores de opinião se interem sobre o assunto, pois é o melhor meio para a divulgação dessa nova ideia. Se a população não sentir confiança e segurança na proposta, não adiantará nada os esforços pré-estabelecidos para um novo modelo econômico, onde se baseia na produção e no trabalho. E você é o que gasta, pois temos que nos adaptarmos com a nossa renda, e não ela se adaptar a nós.

Com essa crise econômica mundial, iniciada em setembro de 2008, é o melhor momento para debatermos um novo modelo, onde colocaríamos em prática o esforço coletivo em detrimento do pessoal. Acabar com o individualismo econômico se faz necessário em face do desenvolvimento total e plural do povo. No século XXI não cabe mais o egocentrismo e a indiferença com aqueles que nos permeiam. Com isso, o homem está se tornando uma máquina, pois só pensa em ganhar e realizar seu sonho materialista. Portanto, lutem!, lutem!, lutem! e lutem! ... sem parar.

"A tecnologia moderna é capaz de realizar a produção sem emprego. O problema é que a economia moderna não consegue inventar o consumo sem salário." - Hebert de Souza

“Quem pensa que um empresário não sabe nada quando ele pede ajuda de um economista, está enganado, pois isto demonstra que ele é atento as mudanças.” - Marco Antonio de Araujo - Economista e Livre Pensador

Nenhum comentário:

Postar um comentário