quinta-feira, 14 de maio de 2009

DISRITMIA DESVAIRADA DOS MEUS DEVANEIOS

Há momentos em que estou próximo de explodir, ou apenas surtar, mas as obras dos meus devaneios deixam-me solitário e infeliz. Penso em tudo, pois é assim que sinto um pouco de paz. As vezes que me peguei em outro mundo, e senti uma terrível compreensão do que fiz de certo e deu tudo errado. No decorrer dos meus sonhos acabam se tornando um tremendo pesadelo.

Quem você gostaria que ganhasse, pois perder é a pior das coisas, e nascemos para depois percebermos que vamos ser engolidos pela vida e degolados pela morte. A propósito é tudo inútil o que sonhamos e acabam virando pesadelo. E volta o poder das coisas que me deixam impotentes para continuar a lutar.

Está na vanguarda o conceito de que tudo que é novo, e primordial, não se acabam os problemas e sim tornan-se mais fortes. O sentimento que me assola é o da disritmia desvairada que vivo dia a dia, sem tirar e nem por. Permito-me a dizer que todos nos somos culpados por tudo àquilo que está acontecendo no mundo, seja o bem ou mal, pois tudo que fazemos tem uma consequência. Portanto, lutem!, lutem!, lutem! e lutem! ... sem parar.

"Se não sabes, aprende; se já sabes, ensina." - Confúcio

“Os economistas ao falarem somente dos efeitos acabam se esquecendo das causas.” - Marco Antonio de Araujo - Economista e Livre Pensador

Um comentário:

  1. Li detida e atentamente "a desritmia desvairada de teus devaneios... Supreendi-me com tão elevada alma. Neste comentário, busco posicionar-me nos mais elevados píncaros da utilidade coletiva, situando-me na senda dos grandes gênios do saber humano; no vanguardeiro patrocinar da liberdade do homem e da sociedade. Enquanto que as “Derradeiras Mensagens” da mediunidade, praticamente inovaram o mundo intrapessoal, aqui culmino por caldear mais solidariamente o enaltecimento da sublime atividade, que a um só tempo absorveu e solucionou meu problema; quem serenamente me observou quando estava agitado e desesperado, surpreendeu-se com a restauração da calma onde havia aflição, viu ser punido o vilão e restabelecido, enfim, o equilíbrio da Justiça. Entretanto, como se propala neste blog, nesta e noutras seções , quiçá exemplarmente, nossa sociedade reclama cada vez mais de cidadãos que, além de capacitados, perfilem a torrente daqueles que apreciam cultivar belas virtudes que devam caracterizar as pessoas, razão por que seções inteiras hão de tratar insistentemente, das virtudes éticas que devem nortear a vida de cada ser palpitante, aspirando, assim, ao enaltecimento e ao posicionamento inter e intrapessoal nos mais elevados padrões da austeridade.

    A missão básica, ao que me afigura, não é outra senão a tentativa de despertar, principalmente dos jovens, às belezas incomensuráveis que podem representar a sublimidade da árdua missão de viver.

    Parabenizo-lhe, meu estimdo Amigo, pela iniciativa.

    ResponderExcluir